sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Vanity Sizing: A numeração REAL das roupas

Uma amiga pessoal (e leitora do blog) desabafou no Facebook sobre a diminuição da numeração das roupas em algumas lojas, e comentou: "Priscila, isso tem que virar post!". Pronto! Pedido atendido! rsrs
A tradução para o termo "Vanity Sizing" seria "numeração da vaidade", e acontecia inicialmente em países que não têm uma padronização para o tamanho das roupas, para enganar satisfazer os consumidores, que querem parecer magros e pensar que vestem números pequenos. Foi seguindo esse pensamento que algumas marcas importadas já fabricam peças tamanho 0, 00 e 000. Mas parece que essa moda já chegou ao Brasil.
Eu já comentei algumas vezes que visto 36/PP e também tenho dificuldades para encontrar roupa em algumas lojas. Se o 40 virou 38, o 38 virou 36, o 36 virou 34, e é impossível achar roupa 34. E quem vestia 40 agora veste 42, e quem vestia 42 agora pode vestir até 46, dependendo da loja! Ou seja, quem essas lojas estão agradando?? Pra quem essas roupas estão sendo feitas?
Precisamos de uma padronização de medidas e tamanhos, mesmo que com alguma variação. O consumidor merece ser respeitado.


Mas o mais importante sobre esse assunto é pensar: Que valor damos ao nº que vemos na etiqueta das roupas?
Quando a balança diz um número, não vai ser a etiqueta que vai desmentir. Quando nos olhamos no espelho e não gostamos (ou gostamos) do que vemos, não vai ser o número na etiqueta que vai mudar isso.
Tá certo que a numeração da roupa está diretamente relacionada com a autoestima e que pedir uma peça num tamanho maior (ou no meu caso, menor) pode ser doloroso, mas só serve para acender a luz lá dentro da nossa cabecinha dizendo: "Tem alguma coisa te deixando infeliz".

E se sabemos que o objetivo das marcas é criar essa ilusão de ótica em quem quer parecer mais magro, o contrário não pode incomodar tanto, né? Vamos fazer um trato? Compraremos nossas roupas (no tamanho que tiver e couber) e quando chegarmos em casa, vamos cortar a etiqueta fora! Assim, a imagem que teremos será a imagem que vemos no espelho, e não a de um número num pedaço de pano.

E independente do que vemos no espelho, a idéia é gostar do que vê. Sempre! Não importa se você é tipo Gisele Bundchen tradicional ou a Gisele Bundchen do Plus Size (Flúvia Lacerda). O negócio é ser feliz!

5 comentários:

They Know disse...

Pri você acredita que eu já fui comprar roupa pedi 44 nada serviu mais chorei tanto naquele provador mas tanto, claro que baixinho senão minha mãe me xingava ainda!
Depois fui em outra loja (ao lado) e pedi 44 ficou tão grande em mim que eu não entendia mais nada!
Levei a 42 na outra vez que fui comprar levei 46 o.O
Acho isso uma falta de respeito tão grande com as consumidoras, mas agora eu vou aceitar o trato vou cortar as etiquetas, chega de se martirizar por números tão insignificantes.

Beijos Chris

Vanessa disse...

Muito bom Pri...obrigada por ter atendido o meu pedido :D....concordo com tudo q vc falou...sem tirar nem por!!!! O unico problema e qdo o G nao cabe numa pessoa 42 e vc fica muito triste pq a saia linda nao deu em vc kkkk vou boicotar a Aquamar e caso resolvido :D

Teen.Tação disse...

acabo de conhecer teu blog e já amei tudo por aqui...amei tanto que já virei seguidora, passa no meu blog e segue também Ok!

Bjos te espero por lá!

Thaís Fernandes disse...

Oi Pri.
Concordo com vc, não me importo com o tamanho que está na etiqueta e si se estou me sentindo bem com aquela roupa e se estou feliz assim. Pra mim é isso o que importa.
Adorei o post.

Bju bju

http://thaisfernandesoblog.blogspot.com/

Silvia disse...

Muito obrigada, muito obrigada, muito obrigada! rsrsrsrs