segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Guarda-roupas equilibrado


Já falei aqui que eu me divorciei a pouco tempo, né? Foram 9 anos de relacionamento, e não é que não tenha dado certo. Deu sim, e durou o tempo que deveria durar.
Eu sempre soube que tinha muita roupa e sapato, mas foi no meu divórcio que eu percebi que esse muito era MUITO mesmo. Na primeira mudança (quando eu aluguei um quarto na casa da mãe de uma amiga), dei algumas coisas. Na segunda (quando eu voltei pra casa que era dos meus pais, onde meu irmão mais novo mora), dei mais algumas, e com certeza na minha mudança definitiva (quando eu finalmente conseguir alugar o meu cantinho), outras sairão do meu "acervo".
Me ajudando na mudança, meu pai comentou: "Você vai poder ficar um bom tempo sem comprar roupa, né?" e eu, brincando, falei: "Não, porque eu só tenho roupa de casada. Agora eu vou ter que comprar roupa de solteira."
Ele, que me conhece muito bem (são quase 31 anos de convivência, né? rsrs) viu que eu estava brincando e que eu não ia sair comprando e usando roupas curtas, justas e decotadas. Meu pai sabe que não é porque ♫ "agora eu tô solteira e ninguém vai me segurar" ♫, mas ao analisar as minhas roupas, percebi sim que a maioria delas serve apenas para trabalhar, mas não serve para um evento mais informal, como um passeio com as amigas no shopping. E roupa de night então? Quase não tenho. Nunca fui de sair muito à noite, nem quando era solteira, e isso "piorou" depois que casei.

Mas, o que eu quero dizer com isso? Quero dizer que, um guarda-roupas funcional precisa ser equilibrado. Precisa ter roupas de trabalho, roupas de lazer, roupas de andar em casa, assim como temos roupas de frio e de calor. Claro que existem peças flexíveis, que vão do escritório ao happy hour, e o ideal é mesmo otimizar as peças ao máximo, mas assim como nos preocupamos em não usar roupas inadequadas no ambiente de trabalho, deveríamos nos preocupar também em não usar roupas inadequadas em nossa vida social.

Investir mais em roupas para o trabalho é super normal, afinal, trabalhamos 5 vezes na semana, e saímos (quando saímos rsrs) apenas durante os finais de semana. E quando fazemos cursos, faculdade, MBA, etc. depois do trabalho, é essa mesma roupa que usamos. Mas, ainda assim, não devemos esquecer do equilibrio.
E equilíbrio não significa que devemos ter a mesma quantidade de roupas para a o trabalho e para a vida social, afinal, trabalhamos com as mesmas pessoas todos os dias, e nem sempre encontramos as mesmas pessoas na night, e nem sempre vamos aos mesmos lugares, então nesses eventos dá pra repetir mais as roupas, né? rsrs

Quando eu conseguir equilibrar a minha vida (assuntos do coração, financeiros e de moradia), eu vou equilibrar o meu guarda-roupas também! E sim, vou comprar mais roupas, mas não roupas de solteira, mas sim roupas mais casuais, para meus momentos out of office, e claro, sem esquecer meu estilo, e principalmente, meus valores, afinal não é porque estou solteira que tenho que usar mais decotes, roupas curtas demais ou justas demais, né?!  Solteira sim, periguete nunca! rsrs

2 comentários:

NANDA FERREIRA disse...

concordo em genero numero e grau...bjkas e otima semana

Caroline Varela disse...

Tb concordo! Mas meu guarda roupa não tem nada de equilibrado... acho que preciso equilibrá-lo a partir de agora... vamos às compras?rs.

Confesso que tenho mais roupas que fico aguardando a ocasião para usar do que roupas que uso frequentemente, o ruim é que as ocasiões nunca chegam e não uso nunca... quando vou ver, já nem gosto mais e nem sei porque comprei!